Cleansing balm: como foi usar o produto pela primeira vez

Publicado em 2 de setembro de 2021 por .

Oie gente, sou a Vic, repórter da Bonita de Pele. Trabalho com esse time massa há mais de 1 ano e, apesar de experimentar vários produtos de beleza ao longo desse tempo, eu nunca tinha provado um cleansing balm. Até agora! 

Para contextualizar, eu já usava o cleansing oil e sempre gostei muito dele, inclusive escolhi o meu através do ranking do boniclub, com as resenhas que vocês deixam por lá. Isso ajuda muito na hora de escolher um produto, pois nem sempre o mais votado é o mais indicado por alguém que tenha um tipo de pele parecido com o seu, por exemplo. Então, lembra de sempre deixar sua resenha por lá, pra ajudar outras bonis nessa decisão.

Como eu já usava o óleo demaquilante e ele cumpria bem a sua função de retirar a maquiagem e as impurezas, achei que o balm seria a mesma coisa, então preferi esperar o que eu tenho aqui terminar, pra depois adquirir outra versão. Quando comentei com a Jana que eu nunca tinha usado um cleansing balm, ela logo me propôs testar e contar minha experiência pra vocês, em detalhes, com primeiras impressões e tudo mais. Topei logo de cara, é claro! Tudo pelo jornalismo investigativo de beleza. 

Usei 4 produtos, todos com a mesma proposta, mas com preços diferentes, pra te dar aquela força caso queira investir em um deles depois de ler e assistir a minha resenha. 

Se você não viu o vídeo, corre lá no nosso Instagram e conta pra gente o que achou. 

Usei os balms da Océane, Banila Co, Dalla e Clinique e fiz várias maquiagens pra testar o lookinho perfeito para quando pudermos nos encontrar e sair arrasando por aí. 

Acho que antes de começar, vale um adendo sobre meu tipo e condição de pele. Ela é oleosa, acneica e nada sensível. Como disse logo no início do texto, eu nunca usei um balm na vida, então não sabia como pegar, se usava espátula ou dedo e qual a quantidade certa – se é que existe. Uma verdadeira novata no rolê. 

O primeiro que eu usei foi o da Océane, ele foi lançado recentemente no mercado junto com novos produtos da linha de skincare, e deu o nome! Ele tem um cheirinho bem sutil que não incomoda nada, e quando em contato com a pele, o aroma some. No geral, retirou muito bem a maquiagem pesada que eu estava usando. Foi uma delícia usá-lo porque parece que a maquiagem vai derretendo real, e você sente a limpeza indo até a camada mais profunda da pele. E o melhor de tudo: não deixou resquícios de balm na pele. A limpeza aconteceu na medida certa, não ardeu os olhos e deixou meu rosto hidratado no final. Amei!  

O segundo foi o cleansing da Dalla Make Up. Achei ele menos consistente que os outros, uma textura um pouco amanteigada, porém sólida e mais fácil na hora de pegar o produto – se você assim como eu, não tem uma espátula para usar e ama pegar o produto com os dedos, vai nesse! Ele também não ardeu os meus olhos quando tirei a make e tive a mesma sensação de pele sequinha e hidratada após utilizá-lo. E pra quem tem problema com cheiro, pode usar sem problemas, pois o produto não contém fragrância. 

O outro foi o cleansing da Banila Co, muito conhecido e queridinho das asiáticas, e o meu foi a versão com tratamento para pele oleosa. Deixa eu te contar uma coisa: foi um acontecimento! Ele tem um mentolado muito sutil ao primeiro toque, perceptível no cheiro também, mas isso não incomodou nada na pele nem nos olhos. Tirou a maquiagem muito rápido, deixou a pele com uma sensação refrescante e suave. Diferente dos outros, ele vem com uma espátula para usar, assim você pode pegar aos poucos e não correr o risco de sujar o produto caso queira mais uma camada de balm. 

Por último – mas não menos importante – temos o famoso Take The Day Off da Clinique. Ele é um clássico e, apesar de ouvir falar muito deste produto, nunca tinha testado. A textura dele é bem densa, como nos produtos anteriores, peguei ele com o dedo mesmo e usei para remover uma make com brilho (que não deu pra ver no vídeo). Ele é ótimo, não tem cheiro, cumpre bem a função de remoção, sem irritar a pele ou os olhos. Assim como os outros, minha pele oleosa ficou sequinha depois.  

Minhas considerações finais foram as seguintes: amei a experiência e o sensorial dos produtos. É uma delícia pegar o produto dos dedos, ir raspando o balm com eles e aplicar logo no rosto. Nenhum deles deixou o meu rosto ou olhos irritados, todos retiraram bem a maquiagem, deixando a pele bem macia. Diferente dos óleos, não sinto uma obrigação em fazer uma dupla limpeza com o gel de limpeza em seguida, mas para completar a rotina noturna – sem dúvidas, eu faria essa limpeza a mais por garantia. Se os tempos fossem outros e eu estivesse voltando da balada e precisando retirar a make, eu iria só no balm, hidratante e pronto. Ai que saudadessssss! 

Vocês curtem resenhas assim? Conta pra gente o que acharam e se seu time é cleansing oil ou cleansing balm. O meu, vocês acabaram de descobrir!  

2 comentários sobre “Cleansing balm: como foi usar o produto pela primeira vez

  1. Matheus disse:

    Eu nunca fiz uso de nenhum cleasing e depois dessa resenha estou muitíssimo inclinado a da uma chance e, quem sabe, começar pelo balm. Obrigado por dividir essa experiência conosco

    • Jornalismo Bonita de Pele disse:

      Fico muito feliz que tenha gostado da resenha, Matheus! E pode acreditar, os cleansing balms são ótimos para compor o autocuidado, e aproveitar aqueles minutinhos para fazer uma massagem e um carinho na gente na hora de retirar os resíduos do dia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.