Tipo de pele e estado de pele: qual a diferença?

Tipo de pele e estado de pele
Foto: Jazzie Moyssiadis

A pele possui várias tipificações, segundo os especialistas. Essa classificação existe para ajudar no tratamentos e produtos que os médicos vão prescrever. Os principais tipos de pele são: normal, seca, oleosa, mista e sensível. E isso leva em conta o fator genético. O tipo de pele é um facilitador, mas você pode mudar. “Com o envelhecimento, sabemos que a pele vai ficando mais ressecada e pode ficar mais sensível. Então ela pode mudar ao longo da vida sim”, explica a dermatologista Fabíola Bordin.

O estado da pele é como ela vai se comportar naquele dia ou naquele momento, com o clima, a umidade, região, alimentação e o momento que a pessoa está vivendo. Veja só: eu, Victoria, tenho uma pele oleosa no Rio de Janeiro, mas se eu for para uma região mais fria, com o Sul do País, é bem provável que a minha pele fique mais ressecada ou sensível. Dá só uma olhada no relato do dermatologista Thiago Cunha: “Uma coisa que eu vejo muito no consultório é pacientes com a pele oleosa e acneica que fazem muito skincare com produtos adstringentes, como tônicos e ácidos, que acabam quebrando a barreira cutânea e a pele passa a ser sensível”, relata. Ou seja, não quer dizer que a pessoa vai passar a ter um tipo de pele sensível, mas o estado em que ela se encontra é de total sensibilidade por conta dessa agressão à barreira. “O estado da pele é mais dinâmico, decorrente ao comportamento do paciente no seu dia a dia”, define Dra. Fabiola.

Para identificar a condição que sua pele se encontra, é importante observar a textura, luminosidade e se apresenta descamação e vermelhidão. Consultar dermatologistas ajuda a entender em que estado ela está, já que os médicos utilizam exames clínicos e recursos de imagem e tecnologia de maneira mais profunda.

Os tratamentos para estado e tipo de pele são diferentes, “O skincare muda completamente, tratar o tipo de pele tem mais relação com manutenção”, diz Dr. Thiago. Mas Dra. Fabiola lembra que o tratamento do estado e do tipo de pele são feitos em conjunto, “Se a pessoa tem tendência a pele sensível, mas no momento ela encontra-se mais oleosa, o procedimento vai ser feito para oleosidade, mas sabendo que o paciente tem a pele sensível. Ou se a pessoa está com a pele mais ressecada, o tratamento para recuperação da hidratação vai ser feito levando em conta a condição de oleosidade do paciente”.

Se a sua pele encontra-se em um estado diferente do que ela costuma ter, lembre-se de consultar dermatologistas sempre!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *