Alimentos da beleza: o que os pimentões vermelhos e amarelos podem fazer pela gente

Publicado em 31 de maio de 2021 por .

Foto: Jazzie Moyssiadis

Tem planta no mundo vegetal escondendo o jogo sobre suas grandes qualidades para a nossa saúde e também para a nossa pele. Ainda bem que existe nutróloga nesse mundo para fazermos perguntas e descobrir as maravilhas de alguns alimentos que poderiam passar meio despercebidos no cardápio do dia a dia, pelo no menos aqui no Brasil. No segundo episódio da nossa série Alimentos da Beleza apresentamos: pimentões, uma história de mistério, amor, rejeição e jogo duplo.

Os pimentões amarelos e vermelhos são os eleitos da nutróloga Patricia Cavalcante, especialista em medicina preventiva, por serem fontes riquíssimas de duas vitaminas essenciais para a saúde do organismo e da pele: as vitaminas A e C. “O pimentão é uma excelente fonte de beta-caroteno, que o corpo converte em vitamina A. O beta-caroteno ajuda a manter sua pele saudável, agindo como um protetor solar natural. Quando consumido, esse antioxidante é incorporado à pele e ajuda a proteger as células da pele da exposição ao sol. Isso pode ajudar a prevenir queimaduras solares, morte celular e pele seca e enrugada. Os pimentões também são uma das melhores fontes de vitamina C. Essa vitamina é necessária para criar o colágeno de proteína, que mantém a pele firme e forte. Uma única xícara (150 gramas) de pimentão fornece impressionantes 211% da necessidade diária de vitamina C”, diz, lembrando que um grande estudo observacional envolvendo mulheres relacionou a ingestão de bastante vitamina C a um risco reduzido de pele enrugada e seca com a idade.

Se uma xícara de pimentão tem esse tanto de vitamina C, a mesma quantidade da versão vermelha contém, afirma a médica, o equivalente a 156% da necessidade diária de vitamina A. Um bom motivo para dar mais bola para eles e não só para a boa cenoura, a fonte mais famosa de beta-caroteno.

Se comer cenoura e tomar suco de laranja parece mais natural dentro da nossa cultura alimentar, ingerir pimentão numa boa quantidade cerca de três vezes por semana – essa é a recomendação da dra. Patricia – pode fazer a gente quer que quebrar mais a cabeça. Por isso, separamos uma receita bem espanhola, de sopa de tomate fria, chamado também de gaspacho, na versão da chef Paola Carosella, e também pedimos duas sugestões para a nutróloga, que vem a seguir:

Pasta de pimentão vermelho ou amarelo

  1. Lave, seque e corte dois pimentões ao meio. Com uma pinça, coloque um pimentão sobre a chama acesa da boca do fogão. Deixe a pele queimar, até ficar bem tostadinha e vá virando para queimar por igual.
  2. Transfira os pimentões para uma tigela, cubra com papel filme e deixe abafado por 10 minutos para a pele do pimentão se soltar com mais facilidade. Descarte o cabo e as sementes, raspe com uma colher para retirar a “polpa” do pimentão.
  3. Coloque num processador os pimentões, nozes, um pouco de alho, caldo de limão, cominho, azeite, sal e pimenta do reino e bata até formar uma pasta. Pode comer com pão, salada e usar como tempero na comida.

Pimentão recheado com carne moída (ou carne vegetal, para vegetarianas)

  1. Lave, seque e corte os pimentões ao meio no sentido do comprimento. Com uma faquinha de legumes, retire as sementes e a película branca de cada metade, mas mantenha o cabinho – ele dá um charme à apresentação.
  2. Transfira para uma assadeira grande e tempere com sal e pimenta-do-reino moída a gosto. Leve ao forno preaquecido para preassar por 10 minutos, até amolecer.
  3. Retire do forno e recheie com a carne moída já refogada e temperada. Cubra com papel alumínio e asse por mais 20 minutos em temperatura média.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Este site usa cookies para lhe oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao navegar neste site, você concorda com o uso de cookies.